Crioulo

Em novo formato, 39ª edição do Freio de Ouro encerra com chave de ouro

Nas fêmeas venceu a égua campeã do Bocal de Ouro, Balisa III do Itapororó, e nos machos o campeão foi o vencedor da FICCC 2018, Colibri Matrero

Surpreendente e emocionante do início ao fim. Assim foi a 39ª edição do Freio de Ouro, realizada de quinta-feira (24) a domingo (27), no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS.

Inegavelmente, a 39ª edição do Freio de Ouro entrou para a história. Ainda mais depois de um ano atípico e desafiador por causa da pandemia. De máscara no rosto e arquibancadas vazias , a emoção do evento chegou ao público através da tela de smartphones, computadores e aparelhos de televisão.

Sobretudo, a qualidade dos conjuntos se destacou durante as provas. Tanto que foi notória a disputa acirrada e a alternância de posições desde o primeiro dia.

Ao todo, 80 animais (46 fêmeas e 34 machos) foram os responsáveis pelo espetáculo. O evento foi promovido pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC);

Na disputa, muitos detalhes chamaram a atenção. Entre elas, as notas morfológicas extremamente elevadas, com 12 animais acima de 8 pontos na média.

Além disso, o evento teve forte representatividade dos exemplares uruguaios. Estes que classificaram um número recorde de conjuntos – oito, no total. Assim, levaram três troféus para a casa.

Consequentemente, outro ponto alto do evento foi a integração proporcionada pelo cavalo Crioulo. Ainfla, levou à pista três países: Argentina, Brasil e Uruguai.

Por fim, o pódio acabou formado, entre as fêmeas, pela dupla Balisa III do Itapororó. Ela foi comandada pelo ginete Fábio Teixeira da Silveira. Já nos machos, os grandes campeões foram Colibri Matrero, com Gabriel Marty.

Balisa III do Itapororó e Fábio Teixeira da Silveira – Foto: Divulgação/Fagner Almeida

Na categoria fêmeas…

A princípio, a égua que puxou a fila das fêmeas logo na 1ª etapa e venceu o evento, Baliza III do Itapororó também é a atual Bocal de Ouro. Sobretudo, ela que atingiu 8,500 de morfologia e 21,199 de média final. Assim, foi um dos dez animais classificados com o ginete Fábio Teixeira da Silveira.

De acordo com o cavaleiro – que é patrocinado Vetnil -, ele chegou ao domingo com cinco animais entre os 28 melhores do ano. Portanto, teve que correr a última paleteada “contra ele mesmo”. Afinal, suas duas éguas disputavam prata e ouro.

No entanto, na ocasião o ginete solicitou ajuda ao amigo (e também ginete) Lindor Collares Luiz. Foi ele, aliás, que assumiu a responsabilidade e fez bonito na corrida de vaca com Divindad 42 Nombrado.

Divindad 42 Nombrado – Foto: Divulgação/Fagner Almeida

Como resultado, a dupla de éguas não só garantiu o pódio na categoria, como também uniu forças para a comemoração na tradicional volta olímpica.

Símbolo de confiança, amizade e companheirismo traduzidos também na entrega de prêmios. Já que foi Collares quem recebeu o Freio de Prata conquistado com 20,576 de média.

Em conclusão, Fábio Teixeira também subiu no pódio para receber o prêmio de Freio de Prata na categoria machos. Este conquistado por Fantástico de São Pedro.

Por certo, equilibrando três troféus na mão, emocionado e agradecido, ele disse que os três cavalos são muito parelhos. Além de terem temperamento fora de série e se tornaram competitivos por isso. “Só por estar em uma final do Freio e fazer uma prova boa já é muito importante. Ganhar é melhor ainda”, completou. 

Colibri Matrero e Gabriel Viola Marty – Foto: Divulgação/Felipe Ulbrich

Já nos categoria machos

Depois, na categoria machos, ele que já é um colecionador de prêmios, somou mais um título à sua jornada. Colibri Matrero, montado pelo ginete Gabriel Viola Marty, foi, certamente, impulsionado à vitória desde a etapa de Mangueira I. Na sequência, ao longo das provas levantou diversas placas pretas dos jurados.

Conforme o ginete, a grande chave para a vitória foi o amadurecimento. “A gente fez um projeto, ele parou um ano para voltar este ano e ganhar o Freio. Esse foi o projeto, eu não posso mentir: a gente veio para ganhar o Freio de Ouro”, destacou. Por fim, a média final foi de 22,217.

Antes de mais nada vale frisar que Matrero é filho de Del Oeste Acierto e Colibri Matrera. Do mesmo modo, o animal já foi Freio de Ouro FICCC e Freio de Bronze em Esteio/RS, ambos em 2018.

Ademais, já levou pra casa o prêmio de 3º Melhor Macho da Expo Prado 2016, na capital uruguaia de Montevidéu. Em contrapartida, na ocasião ele foi um dos seis animais guiados pelo ginete Gabriel Viola Marty, além de um dos cinco exemplares uruguaios na final. 

Freio de Prata Machos, Fantástico de São Pedro e Fábio Teixeira da Silveira – Foto: Divulgação/Felipe Ulbrich

Merecedores de destaque

Em suma, Daniel Teixeira, o ginete que participa do Freio desde os seus 14 anos de idade, recebeu o título de Ginete Destaque da competição. Na última sexta-feira, Daniel fraturou o braço durante o treinamento à noite.

Mesmo com o braço enfaixado, decidiu dar continuidade às provas. Assim, demonstrou um show de superação na pista de Esteio. Afinal, classificou 13 animais e correu com 11 a final da 39ª edição do Freio de Ouro.

Do mesmo modo, o prêmio de Craque Funcional foi dado ao cavalo argentino Don Pocho El Caudillo. O animal foi conduzido pelo ginete Tomaz Gonçalves.  

Confira o resultado

FÊMEAS

Freio  de Ouro
BALISA III DO ITAPORORÓ
CRIADOR: CONDOMINIO RURAL ITAPORORÓ/SANTA MARTA
EXPOSITOR: ROSALIE TAVARES NEGRINI JONES
ESTABELECIMENTO: CABANHA QUARACI, SANTA CRUZ DO SUL-RS
GINETE: FABIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
MÉDIA: 21,199

Freio de Prata
DIVINDAD 42 NOMBRADO
CRIADOR: GABRIELA ZANCANARO TONET
EXPOSITOR: GABRIELA ZANCANARO TONET E FERNANDO TONET
ESTABELECIMENTO: CABANHA DA FIGUEIRA, PANAMBI-RS
GINETE: FABIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
MÉDIA: 20,576

Freio de Bronze
JAGUEL NUEVE LUNAS
CRIADOR: GREEN BELT S/A
EXPOSITOR: GREEN BELT S/A E FERNANDO LAMPERT WEIAND
ESTABELECIMENTO: CABANHAS SEPTIEMBRE E MAUFER, CRUZEIRO DO SUL-RS
GINETE: CLAUDIO DOS SANTOS FAGUNDES
MÉDIA: 20,470

Freio de Alpaca
PORAL CALANDRIA II
CRIADOR: JOSÉ MARIA CAMPIOTTI BUELA
EXPOSITOR: JOSÉ MARIA CAMPIOTTI BUELA
ESTABELECIMENTO: CABAÑA DON PORO, LAVALLEJA-UY
GINETE: JUAN PABLO GONZÁLEZ
MÉDIA: 20,255

MACHOS

Freio de Ouro
COLIBRI MATRERO
CRIADOR: LA PACÍFICA
EXPOSITOR: CABANA LA PACIFICA
ESTABELECIMENTO: CABAÑA LA PACIFICA, URUGUAI-UY
GINETE: GABRIEL VIOLA MARTY
MÉDIA: 22,217

Freio de Prata
FANTÁSTICO DE SÃO PEDRO
CRIADOR: EDUARDO MACEDO LINHARES
EXPOSITOR: EDUARDO MACEDO LINHARES, RODRIGO CASTELLARIN FIALHO
ESTABELECIMENTO: EST NCIA GAP SÃO PEDRO, CABANHA LA PÁTRIA, URUGUAIANA-RS
GINETE: FABIO TEIXEIRA DA SILVEIRA
MÉDIA: 21,577

Freio de Bronze
ZÊZERE DO CANGUCU
CRIADOR: MAURO DUARTE MABILDE SILVEIRA
EXPOSITOR: JÚLIO CÉSAR CARLOTTO, EMILIANO LOPESE SANTIAGO JUAN CRUZ TAPIA
ESTABELECIMENTO: CABANHA  OJ, CABAÑA CERRO CHENQUEE CABAÑA LA DELFINA, ERECHIM-RS E ARGENTINA
GINETE: FAGNER CRESCENCIO ESPINDOLA
MÉDIA: 21,242

Freio de Alpaca
ESCORPIÃO DE SÃO PEDRO
CRIADOR: EDUARDO MACEDO LINHARES
EXPOSITOR: ARTUR FREIRE DIOGO JUNIOR
ESTABELECIMENTO: ESTANCIA SAO DIOGO, SANTA VITÓRIA DO PALMAR-RS
GINETE: JOSE FONSECA MACEDO
MÉDIA:  20,698

Fonte: ABCCC
Crédito da foto em destaque: Divulgação/ABCCC/Fagner Almeida

Veja mais notícias do cavalo Crioulo no portal Cavalus

X