O primeiro formador de campeões da cidade de Bauru, e um dos maiores ganhadores em diversas modalidades

Benedito Alves Moreira ou Dito Moreira, como é conhecido, nascido em outubro de 1943, na cidade de Piratininga/SP, tornou-se referência no treinamento de importantes exemplares da raça Quarto de Milha. E um dos momentos marcantes de sua história ocorreu durante o Campeonato Nacional e Potro do Futuro de 1991, em Bauru/SP, quando foi homenageado com o título de: ‘O cavaleiro mais antigo da ABQM’.

Em uma das matérias publicadas na edição 97 (agosto de 1994) da Revista Quarto de Milha, conta que seu envolvimento com a raça começou aos 34 anos de idade, quando ainda era peão de comitiva e transportava boiadas na região de Assis e Echaporã, cidades do interior do estado de São Paulo. Nessas inúmeras viagens, passando pela Fazenda King Ranch, em Rancharia/SP, decidiu dedicar-se à profissão de domador.

Benedito recorda que a afinidade com o Quarto de Milha foi instantânea e ficou fascinado pela sua musculatura, inteligência, docilidade, beleza, velocidade e pela força. A partir daí não parou mais, foi para Bauru para trabalhar com o criador Marcos Ferraz e posteriormente no Haras 4 Irmãos, do Dr. Heraldo Pessoa, além da propriedade de Guilherme Ferraz.

Ele lembra também com orgulho da época em que trabalhou no Haras 4 irmãos, entre 1968 e 1987, quando formou a maioria dos seus campeões: “Foi com muita paciência e esforço, além do apoio do Dr. Heraldo que me fornecia a parte teórica”. Ele recorda com muito carinho do cavalo Cacareco Brasil, uma de suas primeiras ‘crias’ e grande sensação em provas de Apartação e Rédeas.

Disse ainda que trabalhou no Bauru Haras, que hoje se chama Haras Prata, do Dr. Érico Braga, e lá ficou até o final de sua carreira profissional. “Como possuía bons cavalos, por meio de cruzamentos, foi um local onde formei meus filhos e comecei a fazer cursos para alunos. E estagiários vindos até do Nordeste, principalmente dos estados da Bahia e Pernambuco. Além de treinar os filhos do Dr. Heraldo Pessoa, o Marcelo e o Loly, aliás que se tornou um dos grandes treinadores de cavalos de Apartação”, pontuou Dito Moreira.

Em relação aos animais, formou outros importantes campeões de Rédeas, Laço, Apartação, Baliza, Tambor, Maneabilidade e Velocidade, como: Hondo Rancheiro, Double Bull, Mister Bull, Old Hondo, Capri Bar, Billy’s Gamay, Miss Tonta, Shady Leo, Florentino EW, Bar Trouble, Gold Sonora, Segredo SKR, Bonito, entre outros.

Benedito Moreira
Como treinador, trabalhou com importantes animais como Billy’s Gamay

Com sua experiência de aproximadamente 40 trabalhando com o Quarto de Milha, ele diz que o pedigree do animal representa quase 90% na formação de um vencedor. “Um produto de grande linhagem perde muito de suas qualidades, se for domado de forma inadequada. Outro fator para se conseguir sucesso no trabalho é haver uma perfeita integração homem-cavalo e ter que ser conseguida pelo conhecimento do caráter e personalidade do animal”.

Sobre treinamento, ele dá uma dica: “A pessoa tem que ter capacidade, gostar bastante do que faz e se dedicar. Como exemplo, no haras, eu acordava às quatro horas da manhã. Fazia exercício, corria, laçava, dava por volta de 100 laçadas no cavalete para competir e ser ganhador. Porque se a gente só montar um cavalo bom e não treinar também não adianta”.

Ele revela que até hoje é um apaixonado pelo Quarto de Milha. “Devo tudo a ele. Fico sem palavras, pois tive um período que passei alguns problemas financeiros e foi essa raça que conseguiu me ‘levantar’ e cuidar da minha família”. Ele cita que em decorrência de seu trabalho conquistou um sítio, casa própria, cabeças de gado e deu estudos aos filhos.

“Acho que sou um felizardo, só não tive sorte mesmo depois de velho, quando tive de amputar uma perna, devido a um acidente com um cavalo que me pisou em um evento no Recinto Mello Moraes, em Bauru/SP. Então, isso me atrapalhou um pouco. Mas mesmo assim acho que sou um vitorioso, porque saí do nada e até pude viajar bastante, inclusive para Argentina. Só não fui aos Estados Unidos e outros países porque não quis. Então, acredito que escolhi a profissão certa”.

Sobre os filhos, Dito cita o Luiz Carlos Moreira. “Ele estudou por um tempo, depois partiu para o cavalo. Desde moleque viajávamos e competíamos juntos, ganhando algumas provas nos Cinco Tambores. Com o tempo, tornou-se um bom treinador de provas cronometradas e conquistando títulos. Mas, atualmente, como está mais pesadão e beirando os 50 anos, sentiu a concorrência dessa meninada nova que treina cavalos (estão fazendo marcas espantosas, na casa dos 16, 17 segundos). Na minha época, 18 segundos era bom demais”.

Entre suas habilidades como treinador, trabalhando em várias modalidades, Dito Moreira revelou que sua preferida é a Apartação. E para matar a saudade, de vez em quando, os filhos o levam em eventos: “Quando estou assistindo a uma prova, começo a lembrar de quando participava e isso me dá vontade de chorar quando vejo os cavalos correndo, apartando. Nossa Senhora… É bom não recordar, pois me emociono muito”.

Finalizando, sobre a homenagem prestada pela ABQM, ele disse: “Só tenho que agradecer à Associação em se lembrar de mim. Sem dúvida será muito importante, porque eu já trabalhei muito na vida e acho que esse reconhecimento foi pelo meu trabalho dedicado à raça. Inclusive eu tenho mais amigos que mereceram também, que têm muita história para contar, como o Marcão Toledo (Hall da Fama 2012), que, além de ser muito bom treinador, é uma pessoa simples e ajuda todo mundo”.

Atualmente, Benedito Moreira é pecuarista, proprietário do Sítio do Barreiro, no Município de Piratininga/SP, criando gado leiteiro e cavalos Quarto de Milha.

Colaboração: ABQM
ESPECIAL Bauru – Revista Tambor & Baliza – Ed. 83
Fotos: ABQM e Hugo Lemes

Escreva um comentário