Hipismo

CBH promoveu inédita eleição para representantes dos atletas

Publicado

⠀em

Os nomes foram defendidos dia 29 de abril, no Rio de Janeiro, durante a Assembleia Geral da Confederação Brasileira de Hipismo

A inédita eleição para representantes dos atletas promovida peça Confederação Brasileira de Hipismo aconteceu de 16 a 28 de abril. A primeira eleição direta para esses cargos foi realizada online e visou maior integração entre os gestores do esporte com os atletas para promover o Hipismo desde a base até o mais alto rendimento. Foram eleitores cavaleiros e amazonas, maiores de 16 anos, com registro ativo CBH na data da publicação da lista dos candidatos.

Dos oito candidatos, sete se elegeram, considerando que cada modalidade pode ter no máximo dois representantes. O candidato mais votado Jorge Luiz Passamani, da Federação Equestre do Pernambuco, passa fará parte do Conselho de Administração da CBH, assim que o mesmo for constituído.

Os demais seis eleitos José Roberto Reynoso Fernandez Filho (Salto), Eduardo Xavier Barreto (Enduro), Marcio Appel (CCE), Yara Amaral Fernandes e Sergio Castany de Fiori (Adestramento) e Marcos Fernandes Alves (Adestramento Paraequestre) e Jorge Luiz Passamani agora integram o conselho técnico junto à diretoria de suas respectivas modalidades.

CBH

Já a eleição para representantes de federações no Conselho de Administração será agendada novamente, uma vez que não houve quorum suficiente de candidatos. A nova data será divulgada em breve.

“Até hoje apenas um representante dos atletas participava nas Assembleias da CBH. Com o novo estatuto, os atletas eleitos terão participação, além das Assembleias e do Conselho de Administração, de todos os colegiados decisórios incumbidos diretamente dos assuntos esportivos”, destacou Ronaldo Bittencourt Filho, presidente da CBH no ciclo olímpico até 2020.

“Elaboramos um novo estatuto para atender a legislação aplicável e as orientações das Portarias da Secretaria do Esporte. Foram incluídas também regras para a Gestão da CBH ter um modelo de governança mais participativo, orientado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)”, resumiu Ronaldo. “Estou muito satisfeito com essa inédita eleição que certamente é um primeiro passo de uma nova era na gestão do nosso esporte.”

CBH
Ronaldo Bittencourt Filho

A CBH tem sob sua chancela nove modalidades, das quais três olímpicas Salto, Adestramento e Concurso Completo e uma Paralímpica, o Adestramento Paraequestre. Além disso, a entidade também normatiza as modalidades Atrelagem, Enduro, Rédeas, Tambor e Volteio. Todas as modalidades – exceto Tambor – tem chancela da Federação Equestre Internacional, cujos regulamentos são inteiramente contemplados pela CBH.

Conforme levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicado em 2016, a indústria do cavalo no país movimenta anualmente R$ 16,15 bilhões e gera 610 mil empregos diretos e 2.430 mil empregos indiretos, sendo responsável, assim, por cerca de 3 milhões de postos de trabalho. O país detém o segundo maior rebanho de equinos do mundo e após as raças mangalarga, quarto de milha e crioulo, o cavalo de esporte Brasileiro de Hipismo é a quarta maior criação no país.

Fonte e Fotos: CBH
Na foto de chamada: O cavaleiro Jorge Luis Passamani. Crédito: Leandro Brayder

Comentar com o Facebook

Hipismo

Adestramento: João Victor Oliva registra novo índice olímpico

Cavaleiro olímpico brasileiro e medalhista pan-americano está entre os candidatos a uma vaga individual do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Publicado

⠀em

O cavaleiro brasileiro João Victor Oliva (foto), duas vezes medalha de bronze por equipes em Jogos Pan-americanos, registrou seu primeiro índice olímpico no Adestramento com sua nova montaria Escorial Horsecampline, um Lusitano de 11 anos. O conjunto participou do Grand Prix no Internacional 3* Alter do Chão, em Portugal.

Em outras palavras, João e Escolarial Horsecampline fecharam com a média final de 71% de aproveitamento. Sendo 71,1964% com Raphael Saleh e 70,761%, na avaliação de Elke Ebert, ambos juízes cinco estrelas.

Aproveitamento que lhe rendeu o sexto posto na classificação geral da prova. De quebra, montando Feel Good VO, João Oliva ainda disputou a Medium Tour – Intermediate A/B. Nessa prova ficou com a vitória ao alcançar 68,206%.

A saber, o índice mínimo de qualificação para os Jogos Olímpicos no Adestramento é 66%. Antes de mais nada, precisa ser alcançado junto a um juiz de nível 5*. Assim como tem que ser registrado na média final em dois eventos distintos.

O júri do Internacional 3* Alter do Chão de Adestramento teve Raphael Saleh, Elke Ebert, juízes de nível 5*, Freedy Leyman, Frederico Pinteus e Maarten van de Heijden.

Nova montaria de João no Adestramento

João Victor Oliva monta Escorial Horsecampline, de propriedade da Horsecampline – João Montavni Neto, há dois meses. O cavaleiro de 24 anos, que atualmente reside em Portugal, está entre os candidatos a uma vaga individual do Brasil para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

“Foi minha primeira prova internacional com o Escorial. Estou super contente com o resultado. Entretanto,  ainda vejo margem de melhoras, uma vez que estamos há apenas dois meses juntos. Com o Feel Good VO, disputei pela primeira vez o Medium Tour com vitória. Tivemos alguns erros, mas também vejo que temos muita a melhorar. Estou contente, principalmente porque é um cavalo de nossa criação, domado por mim. Então estou muito orgulhoso dele.”

Com o adiamento das Olimpíadas para 2021, boa parte dos planos do cavaleiro mudou. Afinal, ele já tinha três índices técnicos com outro cavalo. Entretanto, a ideia é que ele busque novamente a qualificação com essas duas montarias. Outros cavaleiros estão na briga, contudo o Brasil tem apenas uma vaga no individual.

Cavaleiro olímpico brasileiro de Adestramento está entre os candidatos a uma vaga individual do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio
Reynoso no RJ com Cornet D’Or Jmen

Troféu Roberto Marinho

José Roberto Reynoso Fernandez Filho conquistou pela primeira vez o Grande Prêmio Internacional Troféu Roberto Marinho. A prova fez parte da programação do Concurso de Salto Internacional – CSI-W – 82º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira, no Rio de Janeiro.

Sete conjuntos terminaram a primeira volta sem cometer nenhuma falta. Dessa forma, para a segunda passada, desenhada por Lucia Faria Alegria Simões, voltaram esses sete e mais cinco (carregando uma falta).

Tiago Mesquita com So What Santa Cecilia, conjunto da casa, foi o primeiro a fechar com um duplo zero, em tempo conservador de 52s94. Enquanto Zé Reynoso, o seguinte, que montou o jovem Cornet D’Or Jmen, em ritmo cauteloso, marcou 49s02. Nada parecia resolvido. Faltavam cinco rápidos conjuntos zerados, mas todos comentaram um derrube.

O GP Troféu Roberto Marinho era único título que o premiadíssimo cavaleiro olímpico ainda não tinha entre os principais GPs dos país. Vale lembrar que Zé Reynoso é pentacampeão brasileiro, entre outros. “Nossa, foi incrível, realmente não esperava”, festeja o campeão. “A estratégia foi fazer um zero, pois pensei que os conjuntos que vinham atrás de mim eram muito rápidos e não teria chance.”

Com a vitória, ele passa a liderar também o Ranking Brasileiro de Senior Top e soma importantes pontos para a seletiva da Copa do Mundo. Entre 3 e 6 de dezembro, no CSI-W Top Riders na Sociedade Hípica Paulista, acontece a sétima de oito etapas do ranking Senior Top e mais uma etapa seletiva para a Final da Copa do Mundo 2021.

Colaboração: Assessoria de Imprensa CBH
Crédito das fotos: Divulgação e Luis Ruas

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Hipismo

CBH: eleições para presidente da entidade são adiadas

Assembleia Geral Ordinária aconteceu dia 30 de novembro, no Centro de Convenções do Prodigy Hotel no Rio de Janeiro

Publicado

⠀em

A Confederação Brasileira de Hipismo realizou em 30 de novembro uma Assembleia Geral Ordinária no Rio de Janeiro, com objetivo de eleger presidente e vice-presidente do quadriênio 2021-2024. Contudo, a condução do processo eleitoral pela Comissão Eleitoral não habilitou nenhuma das duas chapas. Portanto, eleições da CBH suspensas e ainda sem data definida para acontecer. 

A saber, a chapa número 1 tem Francisco José Mari, candidato à presidente, e João Loyo de Meira Lins, vice. Enquanto a chapa número 2 conta com a candidata à presidência Bárbara Laffranchi e com o candidato à vice-presidência Fernando Sperb. Antes de mais nada, as chapas não habilitadas anunciaram que pretendem recorrer da decisão tomada.

Por outro lado, a primeira convocação instalada às 14 horas obteve a maioria de votantes. Estiveram aptos a votação, então, 18 federações filiadas à CBH e sete representantes da Comissão de Atletas CBH.

Assembleia Geral Ordinária da CBH aconteceu dia 30 de novembro, no Centro de Convenções do Prodigy Hotel no Rio de Janeiro/RJ
Gabriel Khoury – Foto: Divulgação/Adestramento Brasil

A eleição para a escolha dos membros do Conselho de Administração aconteceu normalmente. Foram escolhidos quatro representantes de entidades filiadas: Gustavo de Melo Cuba, Josenilton Oliveira Santos Neves, Cláudio Gastão da Rosa Filho e Gabriel Khoury. Sendo o Gabriel o mais votado. Além disso, um membro independente: Antônio Manoel Lopes Sanches.

Em virtude da pandemia da Covid-19, o pleito seguiu as orientações da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde. Por isso, estiveram presentes, no dia da eleição, apenas diretores e colaboradores da CBH e os candidatos aos cargos.

Toda a documentação do processo eleitoral está disponível no Portal da Transparência da CBH. Assim como, em breve, constará ata completa da reunião do dia 30.

Por Equipe Cavalus
Fonte: CBH

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo

Hipismo

Zé Reynoso conquista o pentacampeonato brasileiro Senior Top

A definição do Campeonato Brasileiro Senior Top 2020 aconteceu junto à 49ª Copa São Paulo, na Sociedade Hípica Paulista

Publicado

⠀em

Tricampeão consecutivo e pentacampeão brasileiro Senior Top de Salto. Esse é José Roberto Reynoso Fernandez Filho, um dos cavaleiros mais premiados do país na modalidade. A disputa do Campeonato Brasileiro Senior Top de Salto aconteceu de 19 a 22 de novembro, na Sociedade Hípica Paulista. Zé Reynoso montou seu craque Azrael W, sem dúvida, a dupla mais premiada em atividade no país na modalidade.

Portanto no domingo (22), Zé Reynoso e Azrael W puderam comemorar depois de enfrentar desafios nesse evento. Logo após vencer as duas primeiras parciais, sem cometer uma única falta, Zé Roberto e Azrael perderam 16 pontos na primeira passagem do GP, 1.60m. Por isso, precisaram de uma recuperação espetacular no segundo percurso. O que de fato aconteceu, quando fizeram pista limpa, fechando com 16 pontos perdidos (pp). A melhor performance entre os demais concorrentes.

“Eu não posso jamais olhar e criticar meu cavalo com tudo que ele já me deu. Infelizmente, na primeira não fizemos uma boa distensão (aquecimento). Por isso, entrei um pouco frio e cometi uma falta. Perdi um pouco a concentração e a porta abriu. Mas, quando eu saí e estava menos de uma falta do título, eu sabia que o jogo ainda podia ser virado”, destaca Zé Reynoso.

De acordo com o multicampeão, a vitória só dependia dele. “Dependia de mim entrar lá e fazer o meu zero. Contar com que fosse minha estrela novamente e, graças a Deus, ela brilhou. Só tenho a agradecer a todas as pessoas que torcem pela gente. Toda minha equipe, tratadores, cavaleiros, veterinário e amigos e todos que estão por aí. Obrigado a todos!”. Zé Reynoso garantiu a fatia de R$ 45 mil de um total R$ 120 mil em jogo. O cavaleiro paulista é o único penta na história da competição (2020/2019/2018/2016/2015).

Zé Reynoso conquista o pentacampeonato brasileiro Senior Top em prova junto com a 49ª Copa São Paulo, na Sociedade Hípica Paulista,
Pódio Campeonato Brasileiro

Demais resultados

Os percursos foram armados pela course-designer internacional Marina Azevedo. Em segundo lugar ficou Marcello Ciavaglia, com Garuda GR. O conjunto fechou o vice-campeonato com uma falta na primeira volta e fez pista limpa na segunda, totalizando 20 pp. Inesperadamente, em 2019, o placar do Campeonato Brasileiro Senior Top foi o mesmo: Zé Roberto, campeão, e Marcello, vice.

Marcello, inclusive, vem de vitória no importante GP Indoor da Sociedade Hípica Paulista em 1°/11. Em terceiro lugar ficou Stephan Barcha. Com Atomic des Luthiers, acabou cometendo duas faltas, fechando o campeonato com 21 pp. A disputa também foi válida como a quinta das nove etapas do ranking brasileiro senior top. Dessa forma, Marcello manteve a liderança parcial com 227,5 pontos. Enquanto Reynoso subiu da quarta para a segunda posição, agora com 220,5 pontos.

Semana que vem a caravana do hipismo brasileiro estará Internacional e Nacional de Salto do 82º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira, no Rio de Janeiro. Desse modo, o GP será válido como etapa seletiva da liga sul-americana para a final da Copa do Mundo 2021 e sexta etapa do ranking brasileiro senior top.

Stephan e Chevaux Zilvsertone

Copa São Paulo

Nesse sábado (21), aconteceu o GP Clássico, a 1.45m, principal disputa Concurso de Salto Nacional 49ª Copa São Paulo. A saber, esse é o mais antigo concurso da Sociedade Hípica Paulista. A vitória, então, foi do cavaleiro olímpico Stephan Barcha, carioca que defende Brasília, montando Chevaux Zilverstone.

Dos 46 conjuntos, somente dois zeraram dentro do tempo no percurso idealizado pela course-designer internacional Marina Azevedo. Assim sendo, o primeiro a largar foi o medalhista olímpico Doda Miranda. Com Koedoe V/D Pinnekeshoeve fechou com um derrube, em 45s46. Performance que garantiu o vice. Stephan e Chevaux Zilverstone também comentaram apenas uma falta e na marca de 43s18 sagraram-se campeões.

Exterior

Teve brasileiro conquistando índice para as Olimpíadas. No Concurso Completo de Equitação, o cavaleiro Marcio Appel carimbou seu segundo índice e qualificação técnica para os Jogos. Montando Iberon JMen, Marcio Appel foi sexto no CCI 4* Small em Barroca D Alva, Portugal.

No mesmo evento, Carlos Parro com Goliath e Ruy Fonseca Filho com Ballypatrick SRS garantiram, então, o primeiro índice olímpico, fechando respectivamente com -64,2 e -66 pontos. Cada conjunto no CCE tem que marcar dois índices na busca por uma vaga no Time Brasil. Fique ligado: www.cbh.org.br.

Colaboração: Assessoria de Imprensa
Crédito das fotos: Divulgação/Luis Ruas

Veja mais notícias do Hipismo no portal Cavalus

Comentar com o Facebook

Continue lendo
X
X