Três Tambores & Seis Balizas

Campeão na raça Appaloosa, Guilherme Moraes conta sua trajetória

Atleta destaca entre seus títulos ter sido campeão Nacional em 2013 e campeão Pan-Americano em 2016 da raça Appaloosa

Guilherme Andrade Moraes, 19, é natural de Aracaju/SE. Atualmente, em virtude da pandemia da Covid-19, não tem ido a eventos – que estão paralisados – e divide seu tempo entre a faculdade e os treinos dos cavalos do Haras Kassunguê, que é de propriedade de sua família, em Boquim/SE. Entre suas paixões estão os cavalos da raça Appaloosa, assim como Quarto de Milha e Paint Horse.

Portanto, ele mantém os amimais condicionados e treinados para quando as competições voltarem, enquanto cursa Direito. Apesar de já ter tido propostas para trabalhar em outros haras, Guilherme não atuo profissionalmente na área. Permanecendo com o treinamentos de cinco cavalos em média.

Conversamos com ele. Confira!

As primeiras lembranças de Guilherme Moraes são de ver fotos dele montado

O início

“Para ser sincero, eu não me lembro do meu primeiro contato com os cavalos. Eu vejo nas fotos, eu era muito pequeno, mas eu me lembro de certas coisas. De montar, de puxar alguns cavalos e era uma sensação tão boa, de alegria, algo que eu vejo nas crianças que convivem com a gente no nosso dia a dia”.

Modalidades

“As primeiras modalidades que tive contato foram Três Tambores e Seis Balizas, que eram as provas que meu pai, meu irmão e o nosso treinador competiam. Então eu já fui ‘guiado’ desde cedo. Mas com o tempo, eu fui apresentado a outras modalidades, como a Rédeas, a Vaquejada, o Team Penning e o Ranch Sorting”.

Guilherme Moraes conta sua trajetória e destaca entre seus títulos ter sido campeão Nacional ABQM em 2013 e campeão Pan-Americano em 2016 da raça Appaloosa

Animais

“São vários os cavalos que eu já montei, mas o principal animal que eu posso- e devo destacar – é o Winnin Doc Gam FSN, mais conhecido como Doquinho. Ele nasceu na nossa fazenda e ainda está com a gente. Foi e é um dos melhores cavalos que já montei, me fez ter a maioria dos meus títulos. Sem dúvida, me trouxe várias alegrias.

Outro animal que merece o destaque é o Winnin Dreams Doc, um cavalo com vários títulos e vários filhos campeões nas modalidades de Tambor, Baliza e Vaquejada. Sendo assim, um grande esportista e também um grande reprodutor, mas infelizmente veio a falecer em 2019”.

Títulos

“Acredito que o título mais importante de qualquer competidor, não importando a modalidade, é o primeiro título. O meu primeiro título eu ganhei aos 10 anos de idade, que foi o de ser campeão Sergipano de Seis Balizas. Desde então eu fui me esforçando e treinando cada vez mais. Como resultado, conquistei oito títulos de campeão sergipano, um de campeão Norte/Nordeste, dois campeão Nacional e quatro de campeão Pan-Americano da raça Appaloosa. A saber, todos Seis Balizas e Três Tambores.

Guilherme Moraes conta sua trajetória e destaca entre seus títulos ter sido campeão Nacional ABQM em 2013 e campeão Pan-Americano em 2016 da raça Appaloosa
As paixões de Guilherme Moraes são os cavalos das raças raças Appaloosa, Paint Horse e Quarto de Milha

Contudo, os títulos que mais me marcaram foram o de campeão Nacional em 2013 e de campeão Pan-Americano da raça Appaloosa em 2016. Não só pela grandiosidade do título, mas também pela história em si. Moro em Sergipe e as provas foram em São Paulo, portanto, estar correndo a mais de dois mil quilômetros de distância de casa com o meu cavalo. E ainda pela emoção, nervosismo e por estar lá com meus amigos e com meu pai”.

Dia a dia

“Por ter feito alguns cursos de montaria, eu tento aplicar isso no meu dia a dia conforme me foi ensinado. Como, por exemplo, de que a base para qualquer cavalo é a Rédeas, que vai servir como um pilar para qualquer modalidade. Então, ao montar em um potro em fase de doma ou até em um cavalo, mesmo que aos poucos, é interessante mexer de rédeas.

É algo que irá facilitar para colocá-lo em qualquer modalidade mais na frente. Já um cavalo de esporte pronto não se tem a necessidade de mexer muito, somente de dar condicionamento físico, e como essas, tem várias outras dicas e técnicas. Por isso tudo, e muito mais, eu tenho que agradecer a Victor Amaury, José Luiz, Vam e, principalmente, meu pai, José Milton. Foram  as pessoas que ensinaram tudo o que eu sei sobre o cavalo, seja montado ou não”.

Guilherme Moraes conta sua trajetória e destaca entre seus títulos ter sido campeão Nacional ABQM em 2013 e campeão Pan-Americano em 2016 da raça Appaloosa

Planos

“Eu não sei o que eu seria se não fosse esse mundo do cavalo. Montar para mim é algo que faço por paixão e se tornou parte da minha vida. Eu nasci e me criei nesse meio, vários dos meus amigos, das pessoas que conheço, eu conheci por conta do cavalo. Então eu não vejo minha vida sem meus cavalos.

A médio prazo eu pretendo aproveitar para ir a outros Estados competir em seus campeonatos. Como o Nacional das raças Appaloosa , Paint Horse e Quarto de Milha. E também conhecer outros haras. Mas meu principal plano é me formar, conseguir um bom trabalho, até para manter meus cavalos e, posteriormente, eu pretendo montar um centro de equoterapia.”

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Nando Moraes e Arquivo Pessoal

Veja mais notícias da modalidade Três Tambores e Seis Balizas no portal Cavalus

X